segunda-feira, 2 de abril de 2012

GW2 - Falando sobre...

 Olá pessoal,

No momento estou aguardando ansiosamente o lançamento do Guild Wars 2. Sua pré venda foi anunciada para 10 de abril deste ano e acredita-se que o lançamento seja até julho.

Há muitas informações disponíveis na internet sobre o jogo. Diversos vídeos comentados de jogadores que participaram do Beta e até tutorias revelam o que, na minha opinião, pode se tornar a nova referência em MMO.



Aliás esse assunto está gerando uma longa discursão nos fóruns de MMO. Muitos fãs de MMOs mais tradicionais criticam o Guild Wars 2 e acusam a ArenaNet de não cumprir o que está sendo prometido. Mas isso não é verdade. O problema é que muitos não sabem o que está sendo prometido e deturpam o que está sendo dito. Até eu mesmo já me flagrei criando falsas expectativas devido a um entendimento errado.

Vou tentar falar um pouco sobre isso.

- Não existe a "Holy Trinity"

A Holy Trinity é a divisão das classes de personagem em três categorais: Tank, DPS e Healer. Inicialmente acreditava-se que não existiria essa divisão no GW2 mas, na verdade ela existe. Não da forma que a conhecemos mas existe.



Antes que comecem a desanimar vou começar a explicar melhor isso. Existem as funções de Control, Support e DPS mas elas não são exercidas de forma dedicada. Isso quer dizer que você não tem um healer fixo, um tank fixo e um DPS fixo. Os componentes de um grupo ficam alternando em suas funções de acordo com a necessidade do combate. Por não existir lista de agro e geração de threat, os inimigos possuem um algorítimo de escolha de target que inclui proximidade, quantidade de vida, dano causado entre outras coisas. Sendo assim um Boss pode estar atacando um Guardian, que está com todas as suas defesas ligadas fazendo o papel de Control (Tank), enquanto um Elementalist está de longe curando com sua magias de água o dano sobre o Guardian e um Ranger com seu arco atira flechas sobre o Boss para matá-lo. Em um dado momento, o Boss vira na direção do Elementalist que imediatamente muda o foco das suas magias para Terra (Control), enquanto o Guardian muda seu conjuto de armas para uma característica mais de Support curando e buffando o Elementalist.

Este foi apenas um exemplo de combate no GW2. Dá para perceber claramente a existência da "Holy Trinity" no jogo mas sem a obrigatoriedade de apenas uma pessoa exercer determinada função.

- Não existe "!" em quests

O modelo tradicional de Quests (Missões) nos MMOs é baseado em hubs de acesso que concentram diversos NPCs sinalizados com sinais sobre suas cabeças. Alguns dizem que esse sitema não existe no GW2, mas na verdade existe. As missões no GW2 aparecem de diversas formas e  a grande maioria dela é através de eventos. Mesmo havendo um pequeno número de quests sinalizadas por NPCs com marcas em sua cabeça, estas quests não se prendem a uma caixa de texto com uma história e uma missão. Há inclusive, em alguns casos, uma interação entre os eventos dinâmicos e esses NPCs. Como por exemplo um NPC que se esconde durante um ataque de centauros à um vilarejo.


- GW2 x WoW

Como de costume ao lançamento de um MMO novo no mercado, há a comparação entre o novo jogo e o World of Warcraft. Isto é natural, tendo em vista que o World of Warcraft é, atualmente, o jogo de maior sucesso no estilo.

Lançado em 2004, o World of Warcraft já foi "ameaçado" por vários outros lançamentos (Age of Conan, Warhammer Online, Lord of The Rings, Star Wars The Old Republic e outros) e sempre se manteve com o maior número de assinantes. É bem verdade que, recentemente, o jogo tem perdido uma quantidade grande de jogadores e a Blizzard têm criado diversos recursos para recuperar e manter os números.


World of Warcraft inovou e revolucionou o mundo dos MMOs que até então tinham títulos como Ultima Online, Everquest, MU Online entre outros. Destes, o Everquest era a principal referência até então e muitos fãs do título criticavam o WoW de ser uma cópia. Mas no mundo nada se cria, tudo se copia e transforma. O WoW copiou, tanto no seu desenvolvimento quanto no seu aprimoramento, idéias existentes em alguns títulos. A jogabilidade é praticamente a mesma do Everquest, o esquema de Achievements do Lotro, a mudança no estilo da gear do AoC são alguns elementos que foram adaptados ao WoW.

Hoje, perto do seu lançamento, muitos fãs do WoW criticam o GW2 de copiar alguns elementos, apontam falhas (o jogo ainda está no Beta) e falam mal de um jogo que promete uma nova revolução no mundo dos MMOs.



Eu, geralmente, procuro ser imparcial. Como os leitores do Blog sabem, eu já joguei WoW por muito tempo e convidei muitos amigos para jogar. Era um fã do jogo e até hoje, mesmo sem jogar, me considero um fã.

Parei com o WoW por vários motivos. Falta de conteúdo e inovação são alguns dos fatores que me afastaram do título. Um jogo muito mais "fraco" em relação ao WoW é o DC Universe Online, mas foram tantas inovações (dinamismo no combate, roles novas, mecânicas diferentes, melhor interação com o universo, temática diferenciada) que durante muito tempo eu não quis saber mais de outro jogo.



GW2 está sendo desenvolvido há muitos anos. A proposta da ArenaNet é inovar. O jogo promete muito e quem jogou o Beta garante que: o que você vê nos vídeos na internet é o que você vê no jogo.

Estou muito ansioso com o jogo. Quero muito poder fazer o meu Guardian Norn e "vivenciar" a minha Personal Story, uma área instanciada onde fica sua casa e suas ações influenciam em todos os aspectos do cenário.

Não acredito em um "WoWKiller". Na minha opinião, quem cansou de jogar WoW já saiu do jogo há muito tempo e somente o próximo MMO da Blizzard (Titan, até o momento) poderá acabar com esta hegemonia.

Aos pouco vou começar a postar um pouco mais sobre o jogo aqui no Blog e informá-los um pouco mais sobre o tal esperado Guild Wars 2.

Segue abaixo uns quadrinhos que achei na internet e gostei!




Abraços pessoal!!!!

-

3 comentários:

Mynsk Phoenix disse...

de forma bem resumida, Blizzard parou no tempo não evoluiu ou não quiz ou nao teve capacidade, sendo assim seus jogos consagrados vao sucumbindo morrendo aos poucos e os novos como Diablo 3 nao era nem pra lançar, o mais racional era jogar todo projeto no lixo e recomeçar, D3 e o jogo mais Fail que ja vi, Diablo 1 e 2 pra suas respequitivas epocas eram otimos, e a ArenaNet assim como fez um trabalho magnifico no GW 1 melhorou infinitamente agora com o GW 2 evoluiu não parou no tempo como a Blizzard.

Bombardium disse...

Dae Lekkis gay! Vim aqui só pra dizer que teu blog é legalzin, eu dou uma lida aqui de vez em quando mas nunca posto, hoje decidi postar, abraço ae.

Bomba

Lekkis Games disse...

@Bombardium

Vlw cara... Nos vemos no GW2!!!!